Saiba como evitar os problemas do estresse no jornalismo

em

Brenda Donato, psicóloga, e Ana Carolina Genebra, representante do Ministério Público do Trabalho (MPT), falam quais medidas o jornalista pode tomar para evitar o prejuízo a sua saúde mental devido a estresse no ambiente de trabalho.

Segundo um estudo da CareerCast dos Estados Unidos, repórter de jornal é a pior profissão de 2017. A pesquisa considerou o salário, a expectativa de crescimento no emprego, a competitividade, o grau de estresse e os riscos à segurança pessoal. Além disso em uma lista das dez profissões mais estressantes elaborada pelo mesmo instituto, o jornalista aparece em duas funções, repórter de jornal e apresentador de TV/rádio.

Brenda explica que é equivocado taxar apenas o trabalho do jornalista como estressante. Segundo ela, qualquer atividade em que o profissional seja submetido a riscos constantes, pressão por entrega de trabalhos em curto espaço de tempo, a exposição emocional/moral, atue com jornadas de trabalho superiores a 12 horas diárias e esse cenário seja constante, tem tendência a desenvolver um quadro de estresse ou até mesmo outros transtornos psíquicos.

“Alguns profissionais, sejam eles jornalistas, médicos, bombeiros, administradores de empresas ou outros, devido à constituição da sua personalidade, suportam muito mais ambientes com esses fatores sem desenvolver nenhum tipo de sintoma ou transtorno emocional”, afirma Brenda.

A psicóloga aponta que para evitar quadros de estresse, jornalista ou não, a pessoa precisa equilibrar todos os pilares da sua vida. O transtorno acontece quando o indivíduo começa a fazer atividades contrárias ao seu desejo interno. O estresse é um conjunto entre o conflito interno e o desgaste físico. A pessoa primeiro precisa ter clareza de qual o seu limite e organizar o que pode ou não fazer.

Para o MPT, as situações de estresse indicadas pela psicóloga caracterizam assédio moral. A pessoa pode fazer uma denúncia principalmente se o problema atingir vários funcionários. Ela pode ser feita pelo site do MPT ou a outros órgãos como o sindicato da categoria, Superintendência Regional do Trabalho e Justiça do Trabalho.

Aline Chalet – 1º semestre de Jornalismo

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s