“Um profissional com trabalho voluntário no currículo ganha pontos na seleção”

Projeto Vidas Coloridas, promovido pela ESPM Social. Foto:divulgação
Projeto Vidas Coloridas, promovido pela ESPM Social. Foto: divulgação

O que colocar em um currículo é uma dúvida muito frequente para todos os profissionais. Afinal, qual informação adicional tem relevância para o seu cargo? O que é bom escrever e o que deixar para falar na entrevista? Essas respostas mudam conforme o tempo, já que com os anos alguns fatores perdem importância e outros ganham. Uma informação que recentemente ganhou destaque no currículo foi o trabalho voluntário.

Ser voluntário faz a pessoa pensar em quem ela vai ajudar, mas também nela própria, característica de quem trabalha em prol de um grupo e não só individualmente. Como ressalta Bianca Pinto, consultora da ESPM Social, órgão voltado a causas sociais e assessoria às organizações do Terceiro Setor, poder ajudar o próximo é muito gratificante. “Parece que você está fazendo sua parte ao ver o sorriso no rosto dos diretores e participantes das instituições que a gente ajuda, beneficiando muito mais os voluntários do que as ONGs”.

Além disso, quando envolvido com voluntariado, o comprometimento com o trabalho tende a ser bom o suficiente para surtir efeito positivo na organização, o que traz mais responsabilidade ao participante e melhora características que serão usadas posteriormente em um emprego.

Para Lucrécia Freitas, revisora e contratante da Arizona, empresa de soluções integradas em comunicação, um fator importante de quem costuma fazer esse tipo de trabalho é a habilidade de tomar decisões rápidas e certeiras em prol de um bem comum, além de se tornar uma pessoa compreensiva, menos irritada, que entende que, para a empresa atingir o sucesso, depende da participação de todos os colegas.

Lucrécia considera que o tipo de voluntariado mais importante é aquele em que o trabalho em grupo e as adversidades a serem superadas com poucos recursos são mais marcantes, como acontece na ONG Um Teto para Meu País. “Esse profissional parece ganhar uma empatia pelos problemas e mazelas alheios, não vendo o mundo como um lugar que gira apenas em torno de seu próprio umbigo”.

Independente de qual propósito ou tipo, ter um trabalho voluntário em seu currículo faz a diferença! E participar voluntariamente de algo, além de ser bom profissionalmente, é muito excelente para deixar o estresse de lado e ajudar quem realmente precisa.

Fernanda Giachini (3º semestre de Jornalismo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s