Psicodrama, uma técnica que ajuda na qualificação de profissionais

Usado por muitas empresas para treinar e qualificar profissionais, o psicodrama é um método de terapia, em grupo ou individual, que busca trabalhar a liderança de uma maneira simples. Para a psicóloga Luciane Moraes,  trata-se de uma forma de exercitar o raciocínio lógico, além de ajudar a estimular a liderança de modo saudável. “É um processo extremamente natural”, disse.

Joceli Drummond é psicóloga e fundadora da Potenciar – empresa de consultoria em desenvolvimento profissional que presta serviços para diversos veículos de comunicação, como a Globo e a Rede Bandeirantes. Joceli comenta que o psicodrama busca, basicamente, provocar que as pessoas reflitam sobre seus papéis. “É o que chamamos de medidas socioconstrutivas, a pessoa precisa analisar como está desempenhando seus papéis e avaliar o que está precisando melhorar ou o que precisa manter”, pondera.

De acordo com Joceli, para o ambiente corporativo há a técnica do psicodrama organizacional. “Na técnica organizacional, cria-se mecanismos para que as pessoas reflitam sobre o papel delas dentro de uma empresa”, afirma.

Na maior emissora de televisão do Brasil, a Globo, o psicodrama é utilizado principalmente na área comercial. Oscar Dardo, um dos diretores da área, concedeu entrevista exclusiva ao DONC e falou, entre outras coisas, como o psicodrama tem ajudado os profissionais da empresa.

Oscar Dardo na sede comercial da Globo em São Paulo.   Foto: Rodrigo Tucci
Oscar Dardo na sede comercial da Globo, em São Paulo. Foto: Rodrigo Tucci

Segundo Dardo, para se ter uma equipe competente, é preciso estar constantemente investindo em capacitação, com o uso de diferentes ferramentas. O treinamento já não é suficiente e o profissional precisa saber qual é o papel dele na empresa. “Detectamos que para que o treinamento desse certo, esse apoio do psicodrama seria muito importante, pois estamos num processo de mudança de perfil do nosso profissional”.

Dardo comenta que gosta muito da técnica da inversão de papéis, na dinâmica do psicodrama. Para ele, ao se colocar no lugar de outra pessoa, ocorre um incômodo, o profissional sai da zona de conforto e passa a trilhar um campo minado. Surgem questões e, a partir disso, torna-se possível refletir sobre os dois lados da moeda.

Ele completa:  “O coaching que estamos fazendo com nossa liderança trabalha a inversão de papéis e temos visto uma evolução muito grande no que diz respeito ao profissional perceber e captar questões mais rapidamente”.

Ouça abaixo a definição de coaching segundo o professor de marketing, da ESPM-SP, Ricardo Poli:

 

Rodrigo Tucci (2º semestre de Jornalismo)

Colaboração: Renata Mendes (2º semestre de Jornalismo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s