Especialistas ensinam como montar um currículo

Como montar um currículo é uma dúvida muito comum. Colocar ou não certos dados, a disposição deles, a formatação adequada e o uso ou não de cor e imagens são algumas das incertezas mais recorrentes.

A analista de recursos humanos, Aline Cristine de Oliveira, diz que é importante, na formatação do currículo, a clareza com que as informações são passadas e acima de tudo não mentir nem omitir dados. “Algumas vezes eu encontro currículos com informações divergentes à realidade. Nele consta que a pessoa está cursando a faculdade, e quando eu vou checar a informação, eu descubro que a pessoa trancou o curso”, conta.

Além disso, Aline comenta que os erros na atualização ou no detalhamento das informações são os mais comuns. “Às vezes a pessoa não coloca a idade. Não é porque existe discriminação, mas porque alguns perfis exigem uma pessoa muito mais experiente ou um pouco mais jovem, para se enquadrar no estilo da vaga e no estilo das pessoas que atuam em determinado setor”, disse. “Pode acontecer também da pessoa não colocar quanto tempo ficou em uma empresa e que atividades exerceu, ela deixa de uma maneira muito genérica e fica difícil de entendermos”.

Coaching

Para auxiliar os indivíduos que estão em busca de um emprego a fazer um bom currículo que, além de deixar claro suas qualidades, seja direcionado para o cargo que eles almejam, existem os coachings. Estes são profissionais que fornecem o suporte necessário para que seus clientes possam atingir suas metas.

Paulo Cunha, que trabalhou durante anos como coaching e atualmente é professor do curso de publicidade da ESPM-SP, afirma que muitas pessoas sentem dificuldade em fazer bons currículos. Ele ainda conta que algumas bobagens são escritas porque, antes de procurarem a informação correta, essas pessoas se baseiam em fontes do seu ciclo social e não em profissionais.

“Existem vários modelos de currículo, só que a gente não sabe qual é a expectativa da pessoa que vai recebê-lo. Por esse motivo o padrão é ser mais formal”, diz Cunha. O professor completa dizendo que não precisa ser fonte Times New Roman, pode ser alguma mais informal. “De qualquer forma não se pode esquecer de que é um currículo, não é uma fotografia nem uma obra de arte. Ele tem que informar”.

Passo a passo

Paulo Cunha fez um breve passo a passo sobre a maneira de se fazer um currículo, sempre enfatizando a objetividade das informações. Veja a ordem das informações que precisam estar presentes no seu currículo:

1-    DADOS GERAIS:

 a)    No alto da página. Coloque seu nome completo.

 b)    Em corpo menor, logo abaixo, colocar nacionalidade, idade, estado civil, endereço, telefone e e-mail.

Currículo

2-    CORPO DO CURRÍCULO:

a)    A primeira informação que deve estar presente no corpo do currículo é o objetivo, ou seja, a área e o cargo que deseja. Exemplo: estágio na área de webjornalismo.

 b)    Item “qualificações”: é um resumo objetivo do que fez, o que consequentemente mostrará suas qualidades. Exemplo: coordenação de projetos voluntários.

 c)     Formação: onde estudou. No caso da vaga que almeja ser para estagiar, estando na faculdade, se a escola que cursou o ensino médio é muito bem conceituada, pode citá-la, senão informe somente a faculdade (graduação: curso, faculdade e ano previsto de conclusão).

d)    Colocar sua experiência profissional, se tiver. Sempre da data atual para a mais antiga.

e)    Atividades extracurriculares: palestras, cursos, cursos extras, cursos livres, cursos de inglês, curso de informática, aula de dança, entre outros. É interessante também colocar a carga horária.

Currículo

Paulo Cunha (PC) responde ao De Olho na Carreira (DONC)

DONC –  É aconselhável colocar o item “objetivo” mesmo se não souber o cargo que a empresa vai oferecer?

PC – Você tem que brigar por aquilo que você quer.  Mesmo que não saiba o que a empresa tem para lhe oferecer, você sabe o que quer da empresa: as vagas nas áreas que lhe interessam. Então tem que colocar. Essa definição, dos seus objetivos, ajuda a pessoa que está lendo e que está selecionando.

DONC – Nas qualificações, é adequado colocar algumas qualidades pessoais?

PC – Temos que fugir daquelas coisas mais bobinhas como: sou proativo, sou criativo. Nem na entrevista deve-se falar desse jeito. Na verdade, se você sabe que você é proativo, em cima do que você falou, prove que você é proativo. Ex.: Trabalhei em projetos voluntários de ONGs do meu bairro. Essa é uma informação que mostra proatividade, porque você não recebeu nada por isso.

DONC – É realmente importante colocar nas atividades extracurriculares uma aula de dança, por exemplo?

PC – Sim, pois isso prova que você é criativo, prova que você tem uma visão ampla sem explicar, sem explicitar.

DONC – Trabalho em empresa familiar conta como experiência profissional?

PC – Se de repente você trabalhou um período na empresa do seu pai, é uma experiência profissional, se trabalhou numa ONG, é uma experiência profissional. Não significa que você precisava ter um alto salário. Você pode colocar a experiência profissional: voluntário. Se você estiver numa redação escola agência escola, é uma experiência profissional também.

DONC – Faz diferença colocar ou não o estado civil no currículo?

PC – É uma informação que pode ajudar. Pode mostrar que você não tem um compromisso com a família ou que, para você, o compromisso com a família é importante. Dependendo do perfil da empresa, esse dado pode favorecer ou não para a sua contratação. A mesma coisa para a idade. A empresa tem que chamar o candidato para a entrevista conhecendo o perfil dele e não tomar um susto quando ele se apresentar.

DONC – Quais são os erros mais recorrentes que as pessoas devem saber para não repeti-los?

  • Fazer um trabalho artístico no currículo.
  • Usar papel colorido.
  • Colocar foto, pois é discriminação.
  • Colocar tudo na primeira pessoa. Deve ser impessoal. Exemplo: estágio em tal lugar.

Fernanda Botteghin (1º semestre de Jornalismo)

4 comentários Adicione o seu

  1. Ajudou muito, obrigado !!

  2. Luiza Macedo disse:

    Cursei engenharia civil até o sexto periodo, e estou cursando direito no momento. seria interessante por em meu curriculo que curei engenharia civil ?

    1. deolhonacarreira disse:

      Olá Luiza,

      Sem dúvida os seis semestres cursados em Engenharia lhe renderam conhecimentos muito valiosos. Acreditamos que essa é sim uma informação importante e deverá estar contida em seu CV.
      Abs.,
      DONC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s